Buscar
  • Igor Kondrasovas

5 Dicas para o Corte de Chapa com o Melhor Aproveitamento


Utilizar um software otimizador de plano de corte é um ótimo começo para reduzir o tempo de fabricação das peças. Mas isto por si só é pouco para quem pretende realmente obter resultados expressivos na economia de tempo, custos de materiais e pessoal.

Separamos 5 dicas importantes para se realizar o corte de chapa com economia e que podem ser adotados facilmente no dia a dia da produção.

Nenhuma melhoria será obtida se os planos de corte gerados pelo software não forem possíveis de seguir pelo programador de corte ou operador da máquina. Por isso é preciso ajustar o software para que ele represente a realidade da produção.

não é nenhuma novidade tecnológica. Este artigo no entanto serve para mostrar 5 dicas importantes (e muitas vezes esquecidas) para se fazer o uso correto destes programas, garantindo que os planos de corte gerados possam ser executados no ambiente de produção.

Otimizar o processo do corte de chapa envolve a adoção de métodos e práticas diversas, pois otimizar pode significar reduzir o consumo de chapas, tempo de setup, quantidade de cortes, movimentação de materiais, tempo de máquina e uma combinação destes fatores.

Em todos os casos, as dicas a seguir são bastante aplicáveis.

1 - Ajustar espessura do corte

A maioria dos processos de corte resulta em perda de material. Para o corte com serras por exemplo, a espessura do corte deve ser maior que a espessura da serra, devido a inclinação nos dentes da serra.

Para outros processos como o laser, oxicorte, plasma, etc se utiliza uma regra simples de se considerar que a espessura do corte será igual a espessura da chapa. Esta é uma forma simplista de fazer esta configuração e deve ser revista.

Nós recomendamos que você invista tempo em obter este valor corretamente. Existem alguns softwares no mercado que auxiliam o calculo de velocidades, avanços e ferramentas de corte.

A imagem a seguir ilustra a perca de material que existe ao se cortar a chapa. Em alguns programas este valor também é conhecido como kerf.

Para cada ferramenta de corte, este valor pode variar. Consulte a equipe que faz o corte sobre esta informação e configure o software otimizador para considerar esta perda em cada material que você utiliza.

No final das contas, isto faz muita diferença no resultado final e se não for configurado corretamente, você pode terminar com um plano de corte que não pode ser executado corretamente.

2 - Definir veio da chapa

Alguns tipos de chapas não possuem superfície lisa. Texturas, acabamentos e veios imitam a madeira ou no caso dos metais, padrões como xadrez, escovado etc também requerem atenção nas configurações.

A imagem a seguir mostra o exemplo de uma tela de cadastro de novo material no Otimize Nesting. Veja que existe uma opção "Veio" que indica que este material possui algum tipo de acabamento especial, conforme ilustrado na miniatura ao lado direito.

Ao fazer esta marcação, o otimizador terá o cuidado de não rotacionar nenhuma peça deste material, garantindo que a largura e comprimento da peças final corresponda ao desejado.

Normalmente o software de planejamento de corte procura "rotacionar" a peça para obter um melhor aproveitamento da chapa. Mas se ela possui veio, você deve indicar esta informação no sistema para impedir que a rotação da peça aconteça e fique no sentido desejado.

Um dos erros mais comuns dos utilizadores de software de planos de corte é esquecer de configurar este valor. Se isto acontecer, o otimizador poderá criar um plano de corte onde por exemplo uma porta de um roupeiro ficará com os veios no sentido horizontal, causando um erro de fabricação.

3 - Escolher unidade de medida

Cada empresa ou país possui algumas unidades de medidas mais comuns. Muitos dos utilizadores de um software otimizador de corte de chapa não estão familiarizados com software de projeto e possuem algum dificuldade em passar para o computador as dimensões das peças e chapas.

O erro mais comum é configurar as dimensões das chapas utilizando milímetros e lançar o tamanho das peças em centímetros.

Nós recomendamos sempre que possível utilizar números inteiros, para acelerar a digitação dos números, sem necessidade de utilizar a vírgula e consequentemente evitar erros de digitação.

Por exemplo: Se você fabrica peças com tamanhos tipo 28,5 cm talvez trabalhar com milímetro seja mais prático, pois digitar "285" mm envolve um tecla a menos.

De qualquer forma, é importante manter o padrão de medidas tanto para as peças, chapas e configurações. Por exemplo, se você cadastra suas chapas com 1840 de largura e 2740 de comprimento, você provavelmente trabalha com milímetros. Assim, as peças também devem ser cadastradas em milímetros. Caso contrário os planos de corte ficarão totalmente desproporcionais e não representarão a realidade.

4 - Agrupar pedidos e peças

Para que o otimizador de corte funcione bem e crie planos de corte com alto grau de aproveitamento, é preciso haver muitas possibilidades de encaixes e combinações.

Ao contrário de nós humanos, o programa de computador vai gerar resultados melhores se a diversidade de tamanhos e quantidades for grande.

Existe um dilema entre acumular os pedidos para obter um ótimo aproveitamento ou produzir de maneira contínua para que o processo de corte não seja um gargalo.

Uma terceira alternativa para quem produz peças padrão é trabalhar com um estoque mínimo a fim de fabricar peças com uma variedade de tamanhos e quantidades, para dar chances de obter um aproveitamento próximo dos 100%.

Mas esta não é uma escolha fácil. É preciso equilibrar o fluxo contínuo com o aproveitamento de material. Este equilíbrio é algo que deve ser buscado e melhorado continuamente.

5 - Erros de digitação

Um zero a mais ou a menos pode causar o descarte de uma chapa inteira. Ou então perceber lá na entre e instalação do cliente que as peças foram produzidas com erro.

Depois, precisamos conferir se aquilo que foi digitado confere com aquilo que precisa ser produzido. Estas tarefas consomem tempo e não garantem que tudo ficará correto.

A melhor forma de evitar os erros é diminuir as chances que eles ocorram. Se você possui as dimensões das peças um outro programa, arquivo texto, planilha eletrônica ou qualquer outro formato digital, você deve investigar como importar este arquivo diretamente no software de otimização.

Nós acreditamos que nenhum programa de computador deve ser uma ilha e por isso promovemos a integração entre diferentes sistemas para que as empresas funcionem sem barreiras.

Ajude-nos!

Compartilhe este artigo com seus amigos por email ou através das redes sociais. Ficaremos gratos!

#chapa #cortedechapa