Buscar
  • Igor Kondrasovas

Introdução à Produção Enxuta - Parte 1


Eu percebo que existe um grande interesse sobre produção enxuta, então criei uma série de artigos que introduz os princípios fundamentais do Lean Manufacturing.

Antes de começar, precisamos de uma boa definição sobre "O que é produção enxuta?"

Se você fizer uma busca, o Google traz uma definição:

"Produção enxuta é um modelo de negócio e uma coleção de táticas que enfatiza a eliminar atividades que não geram valor (desperdício) entregando produtos de qualidade no prazo, com um custo mínimo e com grande eficiência."

Já a Wikipedia oferece a seguinte definição:

"Produção enxuta, empresa enxuta ou manufatura enxuta, é uma filosofia de produção que considera um desperdício, todo o uso de recursos que não seja para criação direta de valor ao cliente final, sendo um alvo para eliminação."

A ênfase em minimizar o desperdício eliminando atividades que não geram valor direto para o cliente é comum na maioria das definições sobre produção enxuta. Apesar de ser referida em termos de eliminação do desperdício, uma vez que a empresa já possuir a mentalidade enxuta, o foco passa a ser a prevenção do desperdício antes mesmo que ele ocorra.

A maioria das iniciativas da produção enxuta se concentra em eliminar ao máximo estes sete tipos de desperdício:

1. Superprodução

Toda a iniciativa de produção "Just-in-Time" é na verdade no sentido de reduzir o excesso de produção. Peças paradas em estoque não agregam muito valor ao cliente. Existe algum valor em podermos pegar uma peça do estoque rapidamente, mas ter mais peças do que o necessário para tingir este objetivo já é um desperdício. Quando você produz em excesso, você possui peças em estoque que são vulneráveis a obsolescência e que podem ser descartadas mais tarde quanto forem ultrapassadas.

2. Movimentação das operações

A produção enxuta esforça-se ao máximo para reduzir a movimentação no local de trabalho para minimizar movimentos desnecessários.

3. Excesso de estoque

Estoque vem sob diversas formas, muitas não são produtos acabados, por isso está é uma categoria diferente do que o excesso de produção. Por exemplo, peças semi acabadas, componentes, suprimentos e matéria prima são tipos de estoque. Excesso de estoque fica parado na prateleira aguardando para gerar valor.

O objetivo da produção enxuta é ter estoque apenas suficiente para criar valor quando necessário. Outra forma de excesso de estoque é manutenção, reparo e revisões. A abordagem enxuta para se minimizar este desperdício é a manutenção preventiva de forma que as máquinas sejam mais confiáveis e que você precise de menos peças de reposição ao seu redor.

4. Defeitos

Parece estranho pensar em produção de defeitos, mas o termo enfatiza que devemos eliminar os defeitos antes que eles aconteçam. Quando um defeito ocorre, enfrentamos retrabalho, sucatas ou reparações, que são todas atividades de desperdício. Menos defeitos significa menos desperdício. Muitos não contam o custo do cliente quando ele encontra um defeito no produto. Mas este é uma fonte de desperdício a eliminar por varias razões.

5. Esperas

Não parece uma perda de tempo esperar por alguém para que possamos continuar o nosso trabalho? O desperdício com esperas pode vir sob varias formas, incluindo falta de peças, parada de máquina, tempo entre etapas de produção, etc. A produção enxuta possui diversas ferramentas para reduzir este desperdício incluindo sistemas Kanban e manutenção preventiva. Já a espera entre processos pode ser um pouco mais complicada. Seja o operador esperando pela máquina ou a máquina esperando pelo operador, ainda estamos falando de desperdício.

6. Transporte

Tanto quanto a movimentação do trabalho em andamento dentro da fábrica ou de peças semi acabadas na cadeia de suprimentos, existe a perda no transporte que pode ser minimizada. Pode ser através da organização do chão de fábrica para reduzir o transporte ou através da melhoria da cadeia de fornecimento.

7. Excesso de processamento

Nesta categoria, a ênfase é em eliminar processos que não agregam valor ao cliente. Por exemplo, remover rebarbas de peças que não estarão visíveis ou acessíveis pode ser eliminado. Geralmente, o excesso de processamento pode ser reduzido escolhendo melhores métodos. Este métodos idealmente podem eliminar uma etapa, mas também podem apenas reduzir o custo ao fazer estas tarefas em uma máquina mais simples ou outra ferramenta.

Alguns especialistas ainda adicionam dois desperdícios:

8. Perda do produto

Está é a perda em produzir um produto que não atende a demanda ou especificações do cliente.

9. Perda de habilidade/força de trabalho

Esta é a perda de se sub utilizar as habilidades disponíveis das pessoas.

História da Produção Enxuta

Enquanto a produção enxuta continua aperfeiçoando novos métodos e idéias, sua história pode ser resgatada aos trabalhos pioneiros realizados na Toyota, que resultaram no chamado "Sistema Toyota de Produção". O STP foi desenvolvido por um dos seus executivos Taiichi Ohno durante o pós Segunda Gerra Mundial no Japão.

Tornou-se tão popular no Ocidente com o livro Lean Thinking de 1996, escrito por Womack e Jones. As raízes japonesas da Toyota contam muito nas palavras utilizadas nos seus princípios e ferramentas.

Áreas Relacionadas

Existem muitas áreas que não fazem parte da produção enxuta por si, mas se sobrepõem e são compatíveis. Por exemplo, o Seis Sigma e ISO 9000 são ambos dedicados a melhoria da qualidade, o que é algo certamente próximo e desejável aos defensores da produção enxuta.

Ferramentas para a Produção Enxuta

Existem diversas ferramentas disponíveis para a produção enxuta, e os próximos artigos desta série vão focar nestas ferramentas e metodologias:

5S: O 5S é totalmente sobre organização do espaço de trabalho para prevenir o desperdício. É a metodologia mais amplamente implementada de acordo com diversas fontes e uma ótima forma de começar o caminho da produção enxuta.

Kaizen: Kaizen é a prática de continuamente solicitar a todos que trabalhem em conjunto, de forma proativa para tingir a Melhoria Contínua. Melhorias regulares e incrementais nos processos podem produzir resultados maravilhosos no longo prazo. O Kaizen força uma maneira mais igualitária de se pensar em melhorias e inclui o "Gemba", que é a prática de deixar a prática chegar ao chão-de-fábrica e ver em primeira mão o que está acontecendo lá.

- Uma ferramenta relacionada ao Kaizen que é utilizada para identificar e analisar desperdícios. Na Toyota, era conhecido por "mapeamento de fluxo de valor".

Tempo de ciclo e Takt Time: Corresponde ao ritmo de produção necessário para atender a demanda (a palavra alemã takt corresponde ao ritmo musical), ou seja, o tempo de produção que têm-se disponível pelo numero de unidades a serem produzidas em função da demanda.

Taiichi Ohno define o Takt Time como "o resultado da divisão do tempo diário de operação pelo número de peças requeridas por dia".

Trabalho padrão (também chamado de instruções de trabalho padrão) é apenas uma outra forma de dizer documentar e seguir as melhores práticas, que estão sujeitas a melhoria contínua na medida de novas formas de eliminar o desperdício são encontradas.

O Takt Time significa cadenciar a produção para atender as demandas dos clientes.

Troca rápida de ferramenta -Tem a preocupação em poder rapidamente rearranjar uma máquina ou linha para uma outra tarefa. Se aplica a qualquer máquina ou linha de produção. Alguns especialistas utilizam o termo "redução do setup". A análise e a redução dos tempos de preparação também oferecem um bom treinamento para quem analisa os métodos do local de trabalho.

Kanban: Kanban é um sistema de regulagem do fluxo de bens em um sistema "puxado". Como veremos, o sistema de cartões Kanban pode ser utilizado para regular a variedade de processos para os tornar mais eficientes. Sistema puxado é uma forma de se possibilitar o ideal da produção just in time.

Poka-Yoke: é o famoso sistema "à prova de erros" (também conhecido como "a prova de burro", porém menos pejorativo). Poka-Yoke tem natureza preventiva porque evita a geração de erros ao invés de corrigi-los via inspeção. Queremos alcançar o ideal de zero defeitos sempre que possível para eliminar o desperdício associado com defeitos e erros.

Tornar o estado dos processos de produção acessíveis e claros para todos a fim de melhorar a comunicação e fluxo das informações.

Existem muitas outras ferramentas disponíveis para a produção enxuta, mas estas vamos detalhando ao longo desta serie de artigos.

Ajude-nos!

Se você gostou deste artigo, por favor encaminhe para seus amigos, por email ou clicando nos botões de compartilhamento. Nós realmente ficamos gratos!

#produçãoenxuta #leanmanufacturing #sistematoyotadeprodução

Posts recentes

Ver tudo

Experimentar Novamente

Você pode se inscrever no Otimize Nesting utilizando seu endereço de e-mail apenas uma única vez. Caso tente fazer uma nova inscrição com um endereço de e-mail já utilizado anteriormente, um erro irá